Buscar
  • Forcafé

Sucessão familiar: Jovens de Lambari (MG) participam de curso de Classificação e Degustação


Dez jovens participaram do curso de Classificação e Degustação promovido pelo Sistema FAEMG/SENAR/INAES e o Sindicato dos Produtores Rurais de Lambari, em parceria com a Associação do Bairro Paiolinho.

A secretária de Agricultura e Pecuária de Lambari, Janaína Aparecida Quitéria Magalhães, acredita nas oportunidades que o Sistema FAEMG/SENAR/INAES oferece. “Uma das minhas metas é levar informação e capacitação ao produtor rural, e isso é algo que o Senar faz com muita competência”, disse.

“A turma foi formada, em sua maioria, por estudantes. Isso mostra o interesse do jovem em aprender e levar adiante a sucessão familiar. Isso nos deixa cada vez mais otimistas, pois o futuro do agro depende da juventude de hoje. Que este grupo seja incentivo para mais pessoas buscarem capacitação nesta área”, completou.

Barbara Galo Bocardi fez o curso por incentivo do pai e do avô. “Diversas vezes, provadores de café disseram que o nosso produto havia tido uma bebida ruim, o que nos fazia questionar a veracidade da classificação por falta de uma explicação das características do café. Agora, tenho conhecimento da cultura, argumentos para questionar e uma paixão ainda maior pelo café”, comentou.

Para o gerente regional do Sistema FAEMG/SENAR/INAES em Lavras, Rodrigo Ferreira, o objetivo é oferecer a perspectiva de um futuro melhor. “Foi um passo muito importante para esses jovens para que, futuramente, possam se tornar Q-Graders. Com esse curso, eles poderão aplicar técnicas em casa e prestar serviços para empresas locais, nacionais e até mundiais. Mais uma vez, o Sistema FAEMG/SENAR/INAES cumpriu o propósito de levar conhecimento e promover a permanência do jovem no campo, despertando o lado empreendedor”, destacou.

“Aprendi a classificar o café da maneira correta, fazer amostras e degustar a bebida. Compreendi a diferença entre bebida mole e bebida dura e, agora, entendo o que é café especial. Com o treinamento, notei que existem vários fatores na hora da prova. Fazer o manejo correto e cuidar do produto no terreiro são alguns exemplos. Logo será possível vender um produto melhor, pois consigo identificar a qualidade e procurar pelo preço correto”, comentou o aluno Alisson Pereira dos Santos.

Segundo o mobilizador Elizeu da Costa, o curso estimula a permanência dos filhos dos cafeicultores no meio rural e ajuda os jovens a enxergarem oportunidades de negócios para as suas famílias. “O curso capacita o produtor para conhecer melhor o seu café para agregar valor. Assim, o cafeicultor desenvolve o poder de negociação para comercializar o seu café com preço justo”, explicou.

“Muitos produtores e trabalhadores rurais buscam informações para conhecerem melhor o seu produto. Nesta turma, tivemos jovens que estavam buscando conhecimento para ajudarem os pais na propriedade e para melhorarem a qualidade da bebida. É muito gratificante para nós”, afirmou a instrutora Miryan Silva de Oliveira Pires.

As informações são da Assessoria de Comunicação Senar Minas – Regional Lavras.

1 visualização0 comentário