Buscar
  • Forcafé

Receita bruta total estimada para os Cafés do Brasil soma R$ 29,90 bilhões


O Valor Bruto da Produção (VBP) - Abril 2021, elaborado e divulgado mensalmente pela Secretaria de Política Agrícola (SPA), do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa), destaca que com referência dos preços médios recebidos pelos produtores de janeiro a abril de 2021, a receita bruta total para os Cafés do Brasil foi estimada em R$ 29,90 bilhões. Desse montante, R$ 23,03 bilhões estão previstos para os cafés da espécie arábica, o que corresponde a 77% do total calculado, e R$ 6,87 bilhões para os canéfora (conilon), cifra que equivale a 23% desse mesmo total.

Com base nos dados dessa pesquisa, se for estabelecido um ranking do faturamento bruto estimado para o ano em curso, nas cinco regiões geográficas brasileiras que produzem café, considerando as duas espécies (arábica e canéfora), em ordem decrescente, constata-se que a Região Sudeste desponta em primeiro lugar, com R$ 26 bilhões, montante equivalente a 87% do faturamento total, seguida pela Região Nordeste, que teve sua estimativa calculada em R$ 1,88 bilhão, que corresponde a 6,28%.

A terceira posição fica com a Região Norte, com receita bruta estimada em R$ 1,12 bilhão, que corresponde a 3,74%. Na sequência, em quarto lugar, está a Região Sul, com R$ 632,38 milhões de potencial arrecadação com a atividade cafeeira, ou seja, o equivalente a 2,11%. No quinto lugar encontra-se a Região Centro-Oeste, que tem o faturamento bruto da lavoura cafeeira estimado em R$ 251,58 milhões, receita que corresponde a 0,84% do total previsto para o VBP de todas as lavouras dos Cafés do Brasil.

Seguindo a linha da análise, se for elaborado um ranking exclusivamente para os cafés arábica, cuja receita total estimada foi de R$ 23,03 bilhões, tem-se a seguinte performance: as Regiões Sudeste e Nordeste, à semelhança do ranking anterior, figuram em primeiro e segundo lugares, respectivamente, com faturamentos estimados em R$ 21,19 bilhões, cuja cifra corresponde a 92,01%, e R$ 983,85 milhões que equivalem a 4,27%, do total da espécie arábica.

A terceira colocada nesse ranking é a Região Sul, com R$ 632,38 milhões (2,74%), seguida pela Região Centro-Oeste, com R$ 203,20 milhões (0,88%). E, por fim, a Região Norte, em quinto lugar, com R$ 22,15 milhões, o que equivale a 0,09% do faturamento total dos cafés arábicas.

Complementando esta análise do VBP, no caso específico do canéfora (conilon), cuja receita bruta estimada para este ano de 2021 totaliza R$ 6,87 bilhões, constata-se que o ranking das quatro regiões produtoras tem a seguinte configuração: em primeiro lugar destaca-se a Região Sudeste, com R$ 4,81 bilhões, receita que corresponde a 70,01%, seguida pela Região Norte, com R$ 1,10 bilhão (16,05%). Em terceira posição vem a Região Nordeste, com R$ 905,77 milhões (13,18%), e, por último, em quarto lugar, a Região Centro-Oeste, com R$ 48,37 milhões, que equivale a 0,70%.

As informações são da Embrapa Café/Notícias Agrícolas.

1 visualização0 comentário