Buscar
  • Forcafé

Organização Internacional do Café aposta em aumento do consumo mundial da bebida


Dados do relatório de março da Organização Internacional do Café (OIC) apontam que o consumo de café, em nível mundial, previsto para o ano-cafeeiro 2020/2021 (outubro a setembro), deverá ultrapassar 166 milhões de sacas de 60 kg, o que representa um aumento de 1,3% quando comparado com o consumo mundial do ano anterior.

Em relação aos países importadores de café, o consumo deverá atingir o equivalente a 115,96 milhões de sacas neste ano-cafeeiro 2020/2021. Já o consumo interno dos países exportadores de café deverá ser o equivalente a 50,66 milhões de sacas.


Em nível mundial, houve incremento no consumo de café no período da análise: Europa apresentou aumento de 1,2%, com 54,35 milhões de sacas; Ásia & Oceania com 36,50 milhões de sacas (+1,4%); América do Norte com 30,99 milhões (+1,4%); América do Sul com 27,18 milhões (+1%); África com 12,24 milhões (+1,8%); e México e América Central com 5,64 milhões (+0,2%).


Neste contexto, a OIC aponta que o aumento do consumo dentro de casa continua compensando a redução do consumo fora do lar, em decorrência de medidas de isolamento social adotadas em diversos países do mundo para mitigar os efeitos da pandemia de Covid-19.


Com relação às exportações globais, a OIC destaca que o volume acumulado nos cinco primeiros meses do presente ano-cafeeiro, ou seja, de outubro de 2020 a fevereiro de 2021, atingiu 52,81 milhões de sacas de 60 kg, o que representa um aumento de 2,5% se comparado com o mesmo período passado.


É possível verificar que a exportação de café do continente africano apresentou queda de 12,2% ao registrar 4,9 milhões de sacas. Uganda, maior produtor africano, teve um aumento de 9,6% nas exportações, mas, em contrapartida, a Etiópia, a Costa do Marfim e o Quênia apresentaram redução de 31,6%, 54,1% e 10,8%, respectivamente.


Com base nesses mesmos comparativos, as exportações da Ásia & Oceania caíram 9,4% ao totalizarem 15,4 milhões de sacas. O Vietnã, maior país produtor da região, apresentou queda de 16,4%, ao exportar 9,8 milhões de sacas, enquanto as vendas ao exterior da Indonésia caíram 20,5%, ao totalizar 3,1 milhões de sacas. A Índia exportou 1,9 milhão de sacas nos cinco primeiros meses do ano-cafeeiro 2020-2021, volume que representou redução de 4,6%, se comparado ao mesmo período anterior.


Para ler o relatório na íntegra, acesse: http://consorciopesquisacafe.com.br/arquivos/consorcio/publicacoes_tecnicas/relatorio_oic_marco_2021.pdf


As informações são da Embrapa Café.




4 visualizações0 comentário