top of page
Buscar
  • Foto do escritorForcafé

Abics forma primeiros profissionais para avaliação sensorial do café solúvel


A Associação Brasileira da Indústria de Café Solúvel (Abics) realizou, entre os dias 29 e 31 de maio, em Campinas (SP), no Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital), o primeiro curso de formação de Instant Coffee Graders (IC Graders), denominação dada a provadores profissionais especializados em café solúvel, capacitados com base na metodologia de análise sensorial do produto, desenvolvida pela entidade em parceria com o Ital.


Conforme a consultora da Abics, Eliana Relvas, os IC Graders, como provadores profissionais qualificados e agora certificados, contribuirão com as estratégias de reescrever uma nova história ao café solúvel nos mercados nacional e internacional, com uma identificação clara da categoria e dos atributos dos diferentes tipos de solúvel, para as diversas aplicações e gostos dos consumidores.


“Esse curso foi o marco inicial para a releitura dos cafés solúveis com as suas qualidades, um novo olhar para esses produtos. Neste primeiro curso de formação, contamos com provadores das empresas Nestlé, Cocam, JDE e Native. Todos tiveram desempenho excelente e foram aprovados com base nos critérios da nova metodologia de avaliação sensorial, baseada na intensidade dos atributos percebidos”, destaca.


A “Metodologia do protocolo de análise sensorial do café solúvel” foi desenvolvida pela Abics e pelo Ital ao longo de três anos e lançada, mundialmente, em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), em 2022, na Semana Internacional do Café (SIC), em Belo Horizonte (MG), contando com a participação de convidados internacionais, como jornalistas, formadores de opinião e representantes de entidades mundiais do setor.


Eliana revela que a metodologia inovadora avalia a qualidade pela intensidade dos atributos e não por pontuações. A classificação obtida através da compreensão das características identificadas auxilia a comunicação entre profissionais das indústrias e pode ser transmitida aos consumidores de maneira mais clara e objetiva, de forma a facilitar a escolha dos cafés solúveis existentes no mercado.


“Com base nos principais atributos diferenciadores que detectamos em nossas avaliações, desenvolvemos um léxico sensorial para café solúvel e, através de um algoritmo, calcula-se este peso da intensidade das características, que indicará a categoria de cada produto”, explica a consultora.


Ela informa que, após a construção desse “glossário sensorial” de atributos descritivos-chave, foram criadas três principais categorias de classificação ao produto: Clássico, Premium e Excelência. “Os cursos de formação dos IC Graders são desenvolvidos com base nesse portfólio, de forma que possamos calibrar os provadores no emprego da metodologia e evoluirmos com o objetivo de torná-la global”, comenta Eliana.

O diretor de Relações Institucionais da Abics, Aguinaldo Lima, completa que, nesse primeiro momento, a intenção é formar os profissionais das indústrias brasileiras de solúvel e das empresas das principais marcas do mercado.


Com esse foco, mais dois cursos estão programados, com inscrições abertas no site da Abics, para a realização de 27 a 29 de junho de 2023, no Senai da Barra Funda, em São Paulo (SP), e de 18 a 20 de julho de 2023, no Iapar, em Londrina (PR), ambos com 12 vagas disponíveis cada. Em uma segunda etapa, pretende-se estender a calibração aos importadores de café solúvel brasileiro e, por fim, aos baristas e demais profissionais do setor cafeeiro.


“Com esse avanço gradativo e paulatino, provavelmente conseguiremos implantar a metodologia de avaliação do café solúvel em todo o mundo, pois também a compartilharemos com empresas, especialistas e entidades internacionais, além de clientes da Abics em mais de 120 países. Isso fará com que chegue ao consumidor global uma identificação clara da categoria e dos atributos dos produtos para que possa escolher o que mais deseja para consumo puro ou que se adapte às suas necessidades na gastronomia ou na elaboração de bebidas e drinks à base de café”, projeta.


Assim que os profissionais da indústria estiverem totalmente calibrados e os IC Graders certificados, a Associação iniciará a implementação do programa de “Selos de Qualidade Abics”, que será outra novidade no mercado nacional. O selo será aplicado nas embalagens dos produtos para facilitar o entendimento dos consumidores quanto aos atributos de qualidade e às melhores aplicações.


Exportações e consumo de café solúvel


O diretor da Abics aponta que um dos reflexos dos investimentos das indústrias do setor e do trabalho de capacitação e promoção do produto começa a ser notado nas exportações de café solúvel do Brasil, único segmento da cadeia produtiva a ter desempenho positivo no acumulado de 2023.


De janeiro ao fim de maio, o país embarcou o equivalente a 1,567 milhão de sacas de 60 kg de solúvel, volume que corresponde a 11,5% de todo o café exportado pelo Brasil até o momento e que supera em 2,5% o 1,528 milhão de sacas remetido ao exterior nos cinco primeiros meses de 2022. Em valores, a performance é ainda melhor, com a receita cambial atual avançando 11,7% sobre o ano passado ao alcançar US$ 288,8 milhões.


Outro ponto positivo observado é o desempenho no mercado nacional. Até o fim de maio de 2023, os brasileiros consumiram o equivalente a 390.141 sacas do produto, o que implica um crescimento de 3,1% frente às 378.536 sacas registradas em 2022. “Chama a atenção o fato de que o volume de solúveis importados caiu 41,2% nessa mesma época, o que evidencia que o café solúvel ‘made in Brazil’ conquista, a cada dia, mais consumidores”, conclui Lima.


Os números completos das exportações de café solúvel do Brasil, até maio de 2023, estão disponíveis aqui.


Fonte: Café Point


5 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page